Páginas

quinta-feira, 31 de março de 2011

Saudades

2 comentários
Fiquei feliz em poder sentir tua falta, - a falta mostra o quão necessitamos de algo/alguém. É assim o nosso ciclo. Eu te preciso. Perto, longe, tanto faz. Preciso saber que tu está bem, se respira, se comeu ou tomou banho - com o calor que está fazendo neste verão, tome pelo menos uns três ao dia, e pense em mim, estou com calor também. Me faz bem pensar nessas atividades corriqueiras, que supostamente você está fazendo. Ah, e eu estou te esperando, com meu vestido curto, óculos escuros grandes e meu coração pulsando forte, e te abraçar até sentir o mundo girar apenas para nós. É, eu gosto muito de ti.

Eu quero,eu preciso acreditar

1 comentários
Entre idas e vindas e as voltas que a vida deu hoje me encontro sem rumo. Eu quero acreditar que vou fazer uma boa faculdade e conseguir meu diploma. Eu quero acreditar que em menos de 10 anos já vou ter minha vida estabilizada e minha carreira. Eu preciso acreditar nos sonhos que a vida me deu. Porque foi só o que ela me deu até agora, sonhos. O resto é por minha conta. Pelo meu esforço. Será que vou conseguir concretiza-los? Quem pode saber? Só arriscando mesmo. A vida é assim... É no risco, é na garra, é no grito que a gente vence. Que a gente vence qualquer obstáculo e consegue o que quer. A estrada pro verdadeiro sucesso é longa. Mas se empenhando a gente vai longe.Eu quero acreditar também nas possibilidades que aparecem no meu caminho. Nada acontece por acaso. E eu preciso acreditar é na força do destino. Nem tudo na vida a gente faz com nossas próprias mãos. Veja bem, claro que pra realizar nossos sonhos e atingir nossos objetivos nós precisamos trabalhar duro pra conseguir. Mas tem uma forcinha que ajuda a gente e o nome dela é fé. Temos que acreditar que somos capazes se não acreditarmos em nós mesmo não vencemos.Mas tem outra coisa também que eu quero acreditar que é muito importante na vida. É o amor. É clichê, eu sei. Mas é verdade. Ninguém nessa vida consegue ser feliz sozinho. A vida não é só estudar, trabalhar, carreira, dinheiro, fama, sucesso... Ou qualquer outro sonho ou meta que se possa ter. E é isso uma coisa que eu quero acreditar. No amor. Às vezes a vida coloca alguém no meu caminho e eu nem percebo. Não porque não quero. Mas porque estou cega pela minha frustração. Já me decepcionei tanto que demoro para ver esperança em qualquer possibilidade que me apareça. A vida me da as chances de ser feliz e eu boicoto todas elas. É que eu idealizo tanto a minha felicidade que eu acabo vendo defeito em tudo que vejo. Eu que sempre reclamei da vida nunca parei pra pensar nas chances que ela já meu deu e eu desperdicei. Que ingrata que sou. Mas olha só, que irônico ela esta ai me dando outra chance de novo. E dessa vez pode ter certeza que não vou desaponta-la.Se ele é o homem da minha vida eu não sei. Estou começando a acreditar nas coisas, mas não possuo o dom a premonição. Quer saber de uma coisa? Eu acredito.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Meu lado Maria

2 comentários
Não gosto de quem posa de inteligente, culto e letrado. Mesmo porque por mais inteligente, culto e letrado que você seja, cá pra nós, tenho certeza que vez ou outra passa os olhos na Contigo. Ou em qualquer site fofoqueiro. Ou na coluna social. Ou no Faustão. Ou no Big Brother. Além disso, não acho que assistir baboseiras seja atestado de inteligência e/ou esperteza. Eu, por exemplo, vejo o Big Brother pra rir. Leio livros que os mais intelectualizados (?) condenam para relaxar, me divertir, esquecer um pouco as asperezas da vida. A verdade é que tem muita gente fazendo pose por aí, mas lá no fundo adora ouvir uma música brega. Mas esse já é outro assunto. Hoje eu quero falar da Maria.Sabe a Maria do Big Brother? A Maria, aquela que teve um rápido affair com o nada-bonito-Maurício. Maria, aquela que depois que o nada-bonito saiu da casa arrastou asa para o Wesley. Maria, que depois que o Maurício voltou pra casa se arrependeu. Maria, aquela que bebe e mostra a bunda na televisão. Maria, aquela que diz Maurício-gosto-de-você baixinho no ouvido. Maria, aquela que perde o foco, a noção, o norte, o jeito, o gesto. Maria, aquela que esquece a dignidade no fundo do copo. Maria, aquela que ataca o cara, chora pelo cara, quer de todo o jeito beijar o cara, é louca pelo cara, tarada, maníaca, doente. Pois bem, essa é Maria. Maria, que já foi uma das Felinas. Maria que, diz a lenda, já fez uns bicos na profissão mais antiga do mundo. Não me importo com o passado da Maria. E eu digo: gosto da Maria, pois o que importa é o que a Maria representa, o que a Maria é, o que a Maria nos faz ver. Eu me enxergo na Maria. Eu enxergo muitas mulheres na Maria. E eu repito Maria-Maria-Maria. A Maria representa nossas lágrimas, nosso rímel borrado, nossos porres, nossas ligações na madrugada, nossos fiascos, nossas insanidades. A Maria representa aquela mulher que já perdeu a cabeça e o juízo por causa de um homem. A Maria é aquele comportamento que você teve sábado passado quando, bêbada e ofendida, mandou 34 mensagens para o celular do ex-namorado. A Maria sou eu há 5 anos atrás, que corria atrás de um cara que me fazia de gato e sapato. Maria é aquela moça que insiste em manter uma relação com um cara que tem namorada. Maria é aquela que gosta, tem uma inocência no peito, uma ilusão na boca, uma incoerência no olhar. Maria é aquela que acredita em palavras, se apega e quer ir até o fim. Maria é aquela que acha que o passado dita a moda do presente. Maria é aquela que não pensa antes de falar - e age como dá na telha. Maria é impulsividade, calor, vontade. Maria é a falta de vergonha em se expor.A Maria, minha amiga, é a inimiga íntima de toda mulher.

segunda-feira, 28 de março de 2011

É Tanta Falta

1 comentários
Vamos no atrasar.Por causa da chuva, por causa da preguiça. Sem culpa. Tem um mundo todo de gente lá fora que pouco importa. O carro bem poderia ter quebrado, ninguém vai saber se a gente não contar. Vamos nos atrasar por querer mais de nós dois.Fica mais um pouco e me deixa fazer parte da sua história. Quero o seu dia-a-dia na minha rotina e seu colo pra dormir. Quero nossos assuntos em pauta e nossa falta fazendo companhia. Eu quero mais que solidão a dois e inseguranças tristes para preencher cotidiano. Mais que sorrisos inconvicentes e quase amizades convenientes. Eu quero menos. Menos pensamento, menos dúvida. Um equilíbrio e você de brinde. Vamos nos atrasar, deixar o mundo acontecer do outro lado da porta enquanto a gente discute desenhos animados na cozinha e faz comida para o jantar. Esqueça a música alta, esqueça as pessoas e seus cumprimentos tediosos, é sábado, deixa pra lá. Tudo o que a gente precisa está aqui. Tem eu, tem você, tem uma madrugada inteira de nós dois. E isso é tudo.

Algumas vezes,

0 comentários

Eu fiz muito mal para pessoas que me amaram. Não é paranóia não. É verdade. Sou tão talvez neuroticamente individualista que, quando acontece de alguém parecer aos meus olhos uma ameaça a essa individualidade, fico imediatamente cheio de espinhos - e corto relacionamentos com a maior frieza, às vezes firo, sou agressivo e tal. É preciso acabar com esse medo de ser tocado lá no fundo. Ou é preciso que alguém me toque profundamente para acabar com isso.

Fica mais um pouco,

0 comentários
E me deixa fazer parte da sua história . Quero o seu dia-a-dia na minha rotina e seu colo pra dormir . Quero nossos assuntos em pauta e nossa falta fazendo companhia . Eu quero mais que solidão a dois e inseguranças tristes para preencher cotidiano . Mais que sorrisos inconvicentes e quase amizades convenientes. Eu quero menos . Menos pensamento, menos dúvida . Um equilíbrio e você de brinde . Vamos nos atrasar, deixar o mundo acontecer do outro lado da porta enquanto a gente discute desenhos animados na cozinha e faz comida para o jantar . Esqueça a música alta, esqueça as pessoas e seus cumprimentos tediosos, é sábado, deixa pra lá . Tudo o que a gente precisa está aqui. Tem eu, tem você, tem uma madrugada inteira de nós dois . E isso é tudo .

Você pode não ser o primeiro, ou o último, ou o único.

0 comentários
Ela amou antes, ela pode amar de novo. Mas se ela te ama agora, o que mais importa? Ela não é perfeita - você também não e vocês dois podem nunca serem perfeitos juntos, mas se ela consegue te fazer rir, fazer você pensar duas vezes e admitir que é ser humano e que comete erros, segure-se à ela e dê o seu melhor. Ela pode não pensar em você a cada segundo do dia, mas ela vai dar a parte dela que ela sabe que você pode quebrar - seu coração. Então não a machuque, não a mude, não a analise e não espere dela mais do que ela pode dar. Sorria quando ela te fizer feliz, deixe ela saber quando você estiver bravo e sinta sua falta quando ela não estiver lá.

sábado, 26 de março de 2011

Vencedor

0 comentários
Venho por meio dessa lhe informar do prêmio. Será entregue em sua residência. Em plástico bolha, fita crepe, caixa de papelão, papel dourado espelhado. Pode colocar na mesinha preta, ao lado daquele troço legal que sua mãe te deu. Uma peça de design chique e um coração ensanguentado. Vão te perguntar de onde vem aquele coração e você vai ter mais uma história pra contar baixinho, no ouvido das garotas: essa é boa, quer ouvir? Eu no meio de suas carrancas, cabeças de faraós, estrelas e leões. O vencedor.Pode voltar a respirar, pode fechar a janelinha emperrada da cozinha. Caso fique pesado para a sua decoração, me deixe com os bonequinhos do banheiro. Não serviu a saudade que eu sentia só porque você espremia saquinho por saquinho do shoyo longe de mim. Nem era longe, era logo ali, mas eu sentia saudade. Você queria uma prova, você queria a cabeça pra levar pro rei do seu peito. Você queria decapitar a mente que poderia te magoar.Eu jurei, um dia, vendo você dormir e gostando tanto de você pra pouco tempo, que não teria medo e seria doce e não escreveria uma linha e você seria o escolhido pra não ser mais um escolhido.Mas você levou meu coração, então só me resta a maldade, a bondade contrariada, que sempre me faz recorrer ao lugar comum de escrever um texto. O lugar onde tanta gente já esteve, o que é uma mentira só pra te ferir. O amor não é um jogo mas você ganhou. Daqui a pouco você vai se perguntar o que faz exatamente com isso, se não era melhor ter me deixado com o coração, assim eu poderia continuar gostando de você. Eu gostar de você só é um mérito se eu puder ir junto.Talvez você me mande de volta o prêmio, a caixa rasgada, o papel dourado amassado, o laço frouxo, o coração assustado. E me peça que continue apenas sentindo saudade de quando você demora com os saquinhos de shoyo. Pra gente voltar de onde se tem coragem. De onde a pressa é angustia solitária e não um caminhão de lixo que se joga no outro. De onde a insegurança é um gatinho preso numa jaula alta e não um tigre alimentado pelo ego. O amor recém-nascido e alimentado com água pura. Eu estava nele quando você achou que diminuindo seu ritmo você aumentaria suas chances. O triste, e por isso eu te ligo e reclamo que é solitário, é que enquanto você pensa em chances, ritmos e ganhos, eu só penso em você.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Impaciente

1 comentários
Sempre me achei uma pessoa impaciente. Não gosto de esperar, seja pelo que for. Quero tudo para agora, já. Não tenho paciência, sou ansiosa.Mas, em uma dessas noites em que não conseguia pegar no sono, parei para pensar e percebi que, na verdade, eu sou paciente até demais. Porque já faz muito, muito tempo, nem me lembro desde quando, que vivo numa espera sem fim. Esperando por dias que talvez nunca cheguem, esperando por momentos que talvez nunca aconteçam, esperando por realizações de sonhos que talvez nunca se concretizem, esperando por uma vida que talvez não tenha sido feita para mim. Os anos se passaram e o motivo da espera foi mudando mas sua essência é sempre a mesma. Eu espero pelo dia em que o que quero se tornará o que tenho.Talvez colocando dessa forma, fique parecendo que sou o tipo de pessoa que nunca vai atrás do que quer, espera tudo “cair do céu”. Mas não é isso. Acontece que nem tudo o que quero depende só de mim para que eu consiga. O que eu posso, eu estou fazendo. Mas é muito pouco. Então, no final, só me resta continuar esperando. E meu maior medo é que toda essa espera seja em vão.

chega de me estraçalhar em guerras para as quais eu nunca tive armas

0 comentários
Foi então que o vento começou a soprar. Compreendi que viver é isto. Uma canoa que a vida nos empresta e só vale o quanto temos disposição para remar. Tenho medo que a minha termine num gemido afogado, por ter batido em uma rocha atormentada por lembranças que ela decidiu petrificar. Mas preferi acreditar que o temporal passaria largo e ao invés de se despedaçar eu a encontraria reluzente sobre as águas. Às vezes eu fico de pé dentro dela, gosto de olhar a travessia. Gosto de forçar o remo e sentir como é bonita a maneira como ela deixa tudo para trás. Olho para as margens e vejo o sol mergulhar no horizonte. Vejo as flores, os bosques, os prados, os jardins, as florestas e seus bichos correndo para os montes. Quero um mundo com o qual eu possa me emocionar. Quero ter a soberania de uma borboleta almirante e cessar fogo no entrecortar de minhas asas. Quero uma paisagem pela qual valha a pena lutar. Chega de me estraçalhar em guerras para as quais eu nunca tive armas. A alma sabe quando o corpo tem que parar.

terça-feira, 22 de março de 2011

Eu nunca vou entender

4 comentários
Mais um domingo que você me liga. Igual faz a uns quatro ou cinco anos. Você beija a sua mãe depois do churrasco, dá um oi carinhoso e finalmente pensa sem culpa na sua ex, cheira sua camiseta pra ver se a coisa tá muito feia e descobre que sua vida está prestes a ficar vazia: chegou a hora de me ligar.Você não sabe ao certo o que vê em mim, mas também não sabe ao certo o que não vê. Você sabe que pode ter uma mulher mais gostosa do que eu, mas por alguma razão prefere a gostosa garantida, aquela que ainda ri das suas piadas. Mesmo sendo as mesmas piadas há quatro ou cinco anos.Aí você me liga, com aquele ar descompromissado e meigo de quem só quer ir no cinema com uma velha amiga. Eu não faço a menor idéia do que vejo em você, mas também não faço idéia do que não vejo. Eu posso ter um cara mais gostoso, como de fato já tive milhares de vezes. Mas por alguma razão prefiro suas piadas velhas e seu jeito homem de ser. Você é um idiota, uma criança, um bobo alegre, um deslumbrado, um chato. Mas você é homem. E talvez seja só por isso que eu ainda te aguente: você pode ter todos os defeitos do mundo, mais ainda é melhor do que o resto do mundo. Aí a gente, sem saber ao certo o que está fazendo ali, mas sem lugar melhor para estar, acaba pulando o cinema que nunca existiu e indo direto ao assunto. O mesmo assunto de quatro ou cinco anos que, assim como as suas piadas, nunca cansam ou enjoam. E aí acontece um fenômeno muito estranho comigo. Mesmo quando não é bom, mesmo quando cansado e egoísta você não espera por mim e vira pro lado pra dormir ou pra voltar à sua bolha egocêntrica de tudo o que é seu, eu sempre me apaixono por você. Todas as vezes que te vi, nesses últimos quatro ou cinco anos, eu sempre me apaixonei por você. Eu sempre estive pronta pra começar algo, pra tomar um café de verdade, pra passear de mãos dadas no claro, pra poder te apresentar ao sol sem receber mensagens de gente louca ou olhares curiosos, pra escutar uma piada nova. E você sempre ignorou esse fato, seguindo seu caminho que sempre é interrompido pelo vazio da sua camiseta fedendo a churrasco. Eu nunca vou entender. Eu nunca vou saber porque a vida é assim. Eu nunca vou entender porque a gente continua voltando pra casa querendo ser de alguém, ainda que a gente esteja um ao lado do outro. Eu nunca vou entender porque você é exatamente o que eu quero, eu sou exatamente o que você quer, mas as nossas exatidões não funcionam numa conta de mais.
Eu só sei que agora eu vou tomar um banho, vou esfregar a bucha o mais forte possível na minha pele e vou me dizer pela milésima vez que essa foi a última vez que vou ficar sem entender nada. Mas aí, daqui uns dias, igual faz há uns cinco ou seis anos, você vai me ligar. Querendo pegar aquele cineminha, querendo me esconder como sempre, querendo me amar só enquanto você pode vulgarizar esse amor. Me querendo no escuro. E eu vou topar. Não porque seja uma idiota, não me dê valor ou não tenha nada melhor pra fazer. Apenas porque você me lembra o mistério da vida. Simplesmente porque é assim que a gente faz com a nossa própria existência: não entendemos nada, mas continuamos insistindo.

domingo, 20 de março de 2011

Preciso de alguem

1 comentários
Preciso de alguém, e é tão urgente o que digo. Perdoem excessivas, obscenas carências, pieguices, subjetivismos, mas preciso tanto e tanto. Perdoem a bandeira desfraldada, mas é assim que as coisas são-estão dentro-fora de mim: secas. Tão só nesta hora tardia – eu, patético detrito pós-moderno com resquícios de Werther e farrapos de versos de Jim Morrison, Abaporu heavy-metal -, só sei falar dessas ausências que ressecam as palmas das mãos de carícias não dadas. Preciso de alguém que tenha ouvidos para ouvir, porque são tantas histórias a contar. Que tenha boca para, porque são tantas histórias para ouvir, meu amor. E um grande silêncio desnecessário de palavras. Para ficar ao lado, cúmplice, dividindo o astral, o ritmo, a over, a libido, a percepção da terra, do ar, do fogo, da água, nesta saudável vontade insana de viver. Preciso de alguém que eu possa estender a mão devagar sobre a mesa para tocar a mão quente do outro lado e sentir uma resposta como – eu estou aqui, eu te toco também. Sou o bicho humano que habita a concha ao lado da conha que você habita, e da qual te salvo, meu amor, apenas porque te estendo a minha mão. No meio da fome, do comício, da crise, no meio do vírus, da noite e do deserto – preciso de alguém para dividir comigo esta sede. Para olhar seus olhos que não adivinho castanhos nem verdes nem azuis e dizer assim: que longa e áspera sede, meu amor. Que vontade, que vontade enorme de dizer outra vez meu amor, depois de tanto tempo e tanto medo. Que vontade escapista e burra de encontrar noutro olhar que não o meu próprio – tão cansado, tão causado – qualquer coisa vasta e abstrata quanto, digamos assim, um Caminho. Esse, simples mas proibido agora: o de tocar no outro. Querer um futuro só porque você estará lá, meu amor. O caminho de encontrar num outro humano o mais humilde de nós. Então direi da boca luminosa de ilusão: te amo tanto. E te beijarei fundo molhado, em puro engano de instantes enganosos transitórios – que importa? (Mas finjo de adulto, digo coisas falsamente sábias, faço caras sérias, responsáveis. Engano, mistifico. Disfarço esta sede de ti, meu amor que nunca veio – viria? virá? – e minto não, já não preciso.) Preciso sim,preciso tanto de alguém que aceite tanto meus sonos demorados quanto minhas insônias insuportáveis. tanto meu ciclo ascético Francisco de Assis quanto meu ciclo etílico bukovskiano. que me desperte com um beijo, abra a janela para o sol ou a penumbra. tanto faz, e sem dizer nada me diga o tempo inteiro alguma coisa como eu sou o outro ser ao conjunto teu, mas não sou tu, e quero adoçar tua vida. preciso do teu beijo de mel na minha boca de areia seca, preciso da tua mão de seda no couro da minha mão crispada de solidão. preciso dessa emoção que os antigos chamavam de amor, quando sexo não era morte e as pessoas não tinham medo disso que fazia a gente dissolver o próprio ego no ego do outro e misturar coxas e espíritos no fundo do outro-você.Preciso de você que eu tanto amo e nunca encontrei. Para continuar vivendo, preciso da parte de mim que não está em mim, mas guardada em você que eu não conheço.Tenho urgência de ti, meu amor. , outro-espelho, outro-igual-sedento-de-não-solidão, bicho carente, tigre e lótus.Para me salvar da lama movediça de mim mesmo. Para me tocar, para me tocar e no toque me salvar. Preciso ter certeza que inventar nosso encontro sempre foi pura intuição, não mera loucura. Ah, imenso amor desconhecido. Para não morrer de sede, preciso de você agora, antes destas palavras todas cairem no abismo dos jornais não lidos ou jogados sem piedade no lixo. Do sonho, do engano, da possível treva e também da luz, do jogo, do embuste: preciso de você para dizer eu te amo outra e outra vez. Como se fosse possível, como se fosse verdade, como se fosse ontem e amanhã.

quinta-feira, 17 de março de 2011

Consideração

0 comentários
Já tinha um mês e resolvi ir nessa festa com cara de festa que você vai. Toda pessoa de cabelo cheio que entrava eu achava que era você. Assim como acho quando estou na rua, no supermercado, na fila do cinema, dormindo. Virei uma caçadora de pessoas cacheadas. Virei uma caçadora de você em todas as pessoas. Então você chegou na festa. E eu apenas sorri e sorri e sorri. Porque era isso. Eu queria te ver apenas. A dor numa caixinha embaixo dos meus pés e eu mais alta pra poder te abraçar sem dor, perto da sua nuca e por um segundo. Eu te acho bonito de formas tão variadas e profundas e insuportáveis. Eu vejo você parecendo um leãozinho no fundo da festa. Suando e analisando. O rei escondido escolhendo a presa que não vai atacar. Com sua eterna tristeza cheia de piadas afiadas. Suas facas afiadas de graças para defender as tristezas que nadam baixas nos seus olhos de quem não quer fazer mal. Mas faz. Seus olhos. Em volta um riozinho melancólico e no centro o sol feliz e novinho chegando. E tudo isso vem forte como um soco de buquê de flores de aço no meu estômago. E eu quero ir até você e te dizer que eu sei que você desmaia quando faz exame de sangue. E como eu gosto de você por isso. E como eu queria tirar todo meu sangue em pé pra você jamais cair. E como eu gosto de você por causa do e-mail que você mandou pro seu amigo com problemas. Como gosto quando você lembra de alguém e precisa demonstrar naquela hora porque tem medo da frieza das suas distrações. Suas listas de culturas e atenções. Os vasinhos. Os vasinhos coloridos da cozinha me matam. A história do milagre que te salvou da queda da estante. Você arrepiado falando em anjos. Essas suas delicadezas em detalhes dormem e acordam comigo. Acariciam e perfuram meu peito vinte e quatro horas por dia. Uma saudade dos mil anos que passamos, ou das três semanas. A loucura de gostar tanto pra tão pouco ou simplesmente a loucura de tanto acabar assim. Fora tudo o que guardei de você, me restou a consideração que você guardou por mim. Sua ligação depois, quando me encontra. Sua mão estendida. Sua lamentação pela vida como ela é. Sua gentileza disfarçada de vergonha por não gostar mais de mim. A maneira que você tem de pedir perdão por ser mais um cara que parte assim que rouba um coração. Você é o mocinho que se desculpa pelo próprio bandido. Finjo que aceito suas considerações mas é apenas pra ter novamente o segundo. Como o segundo do meu nariz na sua nuca quando consigo, por um segundo, te abraçar sem dor. O segundo do seu nome na tela do meu celular. O segundo da sua voz do outro lado como se fosse possível começar tudo de novo e eu charmosa e você me fazendo rir e tudo o que poderia ser. O segundo em que suspiro e digo alô e sinto o cheiro da sua sala. Então aceito a sua enorme consideração pequena, responsável, curta, cortante. Aceito você de longe. Aceito suas costas indo. Aceito o último cacho virando a esquina. O último fio preso no pé da minha cama. Não é que aceito. Quem gosta assim não come migalhas porque é melhor do que nada, come porque as migalhas já constituem o nó que ficou na garganta. Seus pedaços estão colados na gosma entalada de tudo o que acabou em todas as instâncias menos nos meus suspiros. Não se digere amor, não se cospe amor, amor é o engasgo que a gente disfarça sorrindo de dor. Aceito sua consideração de carinho no topo da minha cabeça, seu dedilhar de dedos nos meus ombros, seu tchauzinho do bem partindo para algo que não me leva junto e nunca mais levará, seu beijinho profundo de perdão pela falta de profundidade. Aceito apenas porque toda a lama, toda a raiva, todo o nojo e toda a indignação se calam para ver você passar.

sábado, 12 de março de 2011

É loucura odiar todas as rosas porque uma te espetou.

3 comentários
Entregar todos os teus sonhos porque um deles não se realizou, perder a fé em todas as orações porque em uma não foi atendido, desistir de todos os esforços porque um deles fracassou. É loucura condenar todas as amizades porque uma te traiu, descrer de todo amor porque um deles te foi infiel. É loucura jogar fora todas as chances de ser feliz porque uma tentativa não deu certo. Espero que na tua caminhada não cometas estas loucuras. Lembrando que sempre há uma outra chance, uma outra amizade, um outro amor, uma nova força. Para todo fim um recomeço.

Sabe quando você fica abraçado com uma pessoa e o cheiro dela fica em voce?

0 comentários
Há um tempo atrás, eu não tinha a mínima noção do que era se apaixonar. Não entendia o motivo do qual as pessoas “doavam” seus corações para outras. E eu achava aquilo tudo tão estranho. Mas a vida é procurar evoluir. E então, eu mudei. Conheci novas coisas, novas pessoas, conheci você. E aquilo foi o suficiente para eu entender que o amor vai muito além de explicações. O amor não possui uma lógica, ele simplesmente te prende. E se não fosse por ele, eu não teria encontrado um lado mágico de se viver, um motivo para não desistir de tudo. E na verdade, esse motivo se encontra em uma pessoa, especial demais para mim.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Dizem que as coisas boas demoram para acontecer,

0 comentários
Mas as coisas realmente boas acontecem em um piscar de olhos. Acredito que nós dois somos uma mistura disso. Demoramos para realmente “entender”, ou até mesmo “aceitar” que nascemos um para o outro, mas ao mesmo tempo tínhamos essa certeza, afinal.. era tão obvio. Eu não acreditava muito que um dia ia conhecer alguém assim como você. Era uma em um milhão de chances, e veja só.. eu te encontrei. Você é um em um milhão.

Eu vou te contar

0 comentários
E essa saudade absurda está dominando todo o meu peito. Eu vou te contar: amor é uma coisa estranha pra caramba, na minha opinião. Eu sinto falta daquelas pessoas que na verdade nunca estiveram do meu lado; eu sinto saudade de você. Dá pra entender? Eu sinto saudade de você e eu, juntos. Eu sinto falta do que eu nunca tive; eu sinto falta de alguém que nunca lutou por mim; eu sinto falta de alguém que nunca se importou comigo. Algumas pessoas chamariam isso de masoquismo; mas eu chamo de amor mesmo.

Olá, meu nome é O Cara Certo, muito prazer.

0 comentários
Talvez você ainda não me conheça, mas uma hora eu entrarei na sua vida. Farei com que você se sinta uma princesa; a mulher mais amada do mundo. Eu irei te provar que existe sim a eternidade, e também irei te mostrar porque é que os seus antigos relacionamentos não deram certo. Eu sei, você está a minha espera, mas pode ser que eu demore um pouco para entrar em sua vida, tudo depende dos planos de Deus, aguarde com paciência. Pode ser, que quando nos conhecermos, você me julgue de forma errada. Talvez você até pense “ele é só mais um”, mas não, eu não sou só mais um. Eu não sou qualquer idiota perdido pelo mundo; eu quero ser o seu idiota. Quero chegar de mansinho na sua vida, e aos poucos, ir roubando o seu coração. Tentarei me aproximar o máximo da perfeição, só para te agradar. Eu quero ser o cara que você sempre sonhou; que sempre desejou. Eu quero ser o seu cara. E quero que você seja, a minha garota.

quarta-feira, 9 de março de 2011

So existe o agora

0 comentários
Não tenha medo não, quero fazer o que seus olhos dizem pra eu fazer. Seus olhos dizem o que não estão em suas palavras, vamos pra longe hoje. Eu quero te fazer esquecer de tudo, dar pra nossa vida um novo rumo. Eu quero te fazer esquecer de tudo, dar pra nossa vida um novo rumo. Nuvens que são só nuvens, pois sei que o sol brilha sobre nós. Dias que são só dias, o tempo passa e nem se ouve a voz, gente que foi embora, que não faz falta e foi melhor pra nós. Tudo pode ser melhor sim! Somente eu e você.. nós dois agora.

Basta eu fechar os olhos pra te encontrar...

0 comentários
E quando é fim de tarde que tu para e pensa no que anda fazendo e chega à conclusão de que se tivesse começando tudo agora, tu faria tudo de novo. Quando olha pro lado e vê aquela cor que te lembra alguém que te lembra tom, tom de voz, música, amor. Pergunta pra si mesmo até onde iria. Pergunta pra alguém o que significa coração falhando, e te dizem que é o que acontece quando se perde alguém, ou até mesmo quando pensa em perder alguém. Cruzo os dedos e faço um pedido. Peço por você, só por um dia, ou por uma noite, ou madrugada que seja.

segunda-feira, 7 de março de 2011

Eles se amam. Todo mundo sabe, mas ninguém acredita..

3 comentários
Não conseguem ficar juntos. Simples. Complexo. Quase impossível. Ele continua vivendo sua vidinha idealizada e ela continua idealizando sua vidinha. Alguns dizem que isso jamais daria certo. Outros dizem que foram feitos um para o outro. Eles preferem não dizer nada. Preferem meias palavras e milhares de coisas não ditas. Ela quer atitudes, ele quer ela. Todas as noites ela pensa nele, e todas as manhãs ele pensa nela. E assim vão vivendo até quando a vontade de estar com o outro for maior do que os outros. Enquanto o mundo vive lá fora, dentro de cada um tem um pedaço do outro. E mesmo sorrindo por ai, cada um sabe a falta que o outro faz. Nunca mais se viram, nunca mais se tocaram e nunca mais serão os mesmos. É fácil porque os dias passam rápidos demais, é difícil porque o sentimento fica, vai ficando e permanece dentro deles. E todos os dias eles se perguntam o que fazer. E imaginam os abraços, as noites com dores nas costas esquecidas pelo primeiro sorriso do outro. E que no momento certo se reencontrem e que nada, nada seja por acaso.

Sim,estou com medo

0 comentários
Estou com um medo enorme de acordar amanhã, e não poder mais olhar para o lado, e ver você . Não sei como seria sem você nos meus dias . Já se tornou meu costume acordar pensando em você, e logo querer te ver, e se não der, no mínimo ouvir a sua voz , você pode estar enjoado de me ver, mas eu não consigo cansar de te ver, de te abraçar, de ficar um minuto a mais com você, não me cansa , nem me enjoa, me faz feliz , revitaliza o meu corpo e a minha alma para o resto do dia . Os dias sem você , não passam . Demoram e mal chegam, as horas parecem dias, e o fim do dia parece o fim do ano mais longo, com os dias mais demorados e as horas mais cansativas . Pois é , estou muito dependente de você , e não sei como você vê isso, mas tambem não consigo . Eu tento, tento muito, tento me manter afastada, mas o máximo que consigo são alguns minutos . E nem só por estar dependendente de você, mas tambem por te querer o tempo todo, preciso de você, como um vicio . O único vício que faz bem .

quarta-feira, 2 de março de 2011

Eu acho que não sei fechar ciclos, colocar pontos finais.

2 comentários
Ando com uma vontade tão grande de receber todos os afetos, todos os carinhos, todas as atenções. Quero colo, quero beijo, quero cafuné, abraço apertado, mensagem na madrugada, quero flores, quero doces, quero música, vento, cheiros, quero parar de me doar e começar a receber. Sabe, eu acho que não sei fechar ciclos, colocar pontos finais. Comigo são sempre vírgulas, aspas, reticências. Eu vou gostando, eu vou cuidando, eu vou desculpando, eu vou superando, eu vou compreendendo, eu vou relevando, eu vou e continuo indo, assim, desse jeito, sem virar páginas, sem colocar pontos. E vou dando muito de mim, e aceitando o pouquinho que os outros têm para me dar.

Antes de qualquer coisa, eu te amo.

2 comentários
Tudo que eu escrevo, seja verdade ou não, é o que eu ando sentindo, é o que eu andopercebendo. Alguma coisa mudou, não negue. Hoje, como vários outros dias, acordei decidida, a que, eu não sei. Mas eu não tenho coragem. Eu sou fraca com você por perto, mesmo que seja perto aqui no pensamento. Fala de mim, mas não são os meus sentimentos que estão confusos, os seus talvez. Não vejo mais aquela ansiedade e aquele entusiasmo de sempre, não faz mais tanta questão. E o problema é que eu não quero me acostumar com isso, porque você me acostumou de outra forma. Pode ser que não esteja bem, eu até entendo, mas que mal faz deixar que eu te cuide ? Se jogar em mim como sempre foi. Deixar que eu carregue você. Leio as coisas que escreveu, que escrevi, que escrevemos e é o que faz com que eu ainda continue, porque eu sei que é verdadeiro, tenho certeza disso. Na verdade eu tenho medo, medo de te perder, medo de me perder, porque sem você eu não sei mais. Eu te conheço demais, cada pedacinho de você, da sua história. Você me conhece por inteiro, como ninguém. Nos pertencemos desde o dia em que nos conhecemos, desde que decidi que ver sua felicidade seria a minha maior prioridade. Longe de ser pretensão, mas eu quero que imagine você sem mim. Eu me imaginei sem você e o resultado não foi muito bom. Se for melhor pra você, me diz, eu aguento, eu me cuido. Isso não é uma via de mão única, é dupla, eu não quero ter que conquistar sozinha. Diz que me quer, porque eu te quero também.

terça-feira, 1 de março de 2011

Não me disseram que seria assim, que me apertaria tanto o peito.

2 comentários
A saudade machuca, e ando sabendo bem disso. Tuas lembranças estão impregnadas em mim, por onde meu corpo passa, por onde meu coração conhece, por onde minha cabeça está. Respiro nossas conversas bobas no elevador. Seu sorriso de quem brinca ser superior, me vira a cabeça, ainda que eu não mais o veja. Seu jeito sincero de falar de mim, me enlouquece. Você me conhece bem, e é tão sincero quanto à isso. Você não me esconde conhecer-me inteira. E seu jeito por saber que sempre sabe de tudo, ainda me arranca uns suspiros bobos, como de quem se pergunta como alguém pode ser assim. Seu jeito de zombar de mim com coisas bobas, me deixa boba. É uma saudade que aperta, machuca, comprime o estômago, e que me faz sonhar. Suas qualidades anulam seus alguns defeitos, ainda que até seus defeitos me soem bem. É tudo tão claro, tão vivo. E a gente às vezes ainda se esbarra, ainda que não fisicamente, mas a gente se esbarra. Você me fala da idealização da sua vidinha, e eu te falo da minha vidinha idealizada. Eu tento falar de outras coisas, você também, e quando a gente vai ver, você me diz sobre saudade. Você finge não saber, e eu finjo não me importar. E ainda que em silêncio, ainda fazemos muito barulho. Sua foto antiga, com aquele sorriso mais lindo de todo o mundo, no cantinho esquerdo, me faz cada vez mais não saber o que dizer. Dou uma de louca, e sorrio para a sua foto, converso com ela e digo tudo o que precisava te dizer. Então te digito umas meia dúzia de palavras, de quem só consegue falar desse amor com uma foto. Você mal entende, e eu sempre deixo quase transparente que, se você quiser, eu ainda te espero pra sempre. E bastaria uma meia palavra, pra toda essa saudade ficar apenas num texto, pra você vir pro meu lado, pra gente rir de um textinho de uma saudadezinha que me matava, pra você me olhar e dizer que ela não mais vai existir, pra você ser meu e compreender que eu vou ser sua pra sempre.