Páginas

quarta-feira, 2 de março de 2011

Antes de qualquer coisa, eu te amo.

Tudo que eu escrevo, seja verdade ou não, é o que eu ando sentindo, é o que eu andopercebendo. Alguma coisa mudou, não negue. Hoje, como vários outros dias, acordei decidida, a que, eu não sei. Mas eu não tenho coragem. Eu sou fraca com você por perto, mesmo que seja perto aqui no pensamento. Fala de mim, mas não são os meus sentimentos que estão confusos, os seus talvez. Não vejo mais aquela ansiedade e aquele entusiasmo de sempre, não faz mais tanta questão. E o problema é que eu não quero me acostumar com isso, porque você me acostumou de outra forma. Pode ser que não esteja bem, eu até entendo, mas que mal faz deixar que eu te cuide ? Se jogar em mim como sempre foi. Deixar que eu carregue você. Leio as coisas que escreveu, que escrevi, que escrevemos e é o que faz com que eu ainda continue, porque eu sei que é verdadeiro, tenho certeza disso. Na verdade eu tenho medo, medo de te perder, medo de me perder, porque sem você eu não sei mais. Eu te conheço demais, cada pedacinho de você, da sua história. Você me conhece por inteiro, como ninguém. Nos pertencemos desde o dia em que nos conhecemos, desde que decidi que ver sua felicidade seria a minha maior prioridade. Longe de ser pretensão, mas eu quero que imagine você sem mim. Eu me imaginei sem você e o resultado não foi muito bom. Se for melhor pra você, me diz, eu aguento, eu me cuido. Isso não é uma via de mão única, é dupla, eu não quero ter que conquistar sozinha. Diz que me quer, porque eu te quero também.

2 comentários:

  1. Que texto lindo, Pri. Adorei!
    Ótima quarta para você, minha flor (:

    Mil beijinhos **

    ResponderExcluir